quarta-feira, 4 de novembro de 2009

A bênção da ignorância

Conversando com um colega do mestrado que, por 8 anos, trabalhou numa agência da Nossa Caixa da Assembléia Legislativa de SP, indaguei-o sobre qual foi a sua experiência nos bastidores daquela casa legislativa. Queria confirmar minha intuição (e a do senso comum) sobre o colapso generalizado das "atividades legislativas" do nosso país.

Para minha surpresa, meu colega (que não é cristão) respondeu: "Ricardo, a ignorância é uma bênção!"

Isso me fez lembrar um texto do Rev. Augustus publicado em seu blog "tempora-mores", lá em meados de 2006, e que me remeteu não apenas a fatos políticos, mas a todo o cotidiano que nos rodeia, especialmente aquele de convívio social.

Dizia o nobre pastor que não suportaria, como ser humano frágil, limitado e vulnerável, ter conhecimento completo de toda a depravação que se aloja na mente e coração das pessoas ao redor.

Dizia ele: "... mal consigo conviver com a corrupção do meu próprio coração. Creio que entraria em desespero profundo. (...) ao menos uma certa ignorância e um pouco de privacidade, junto com a aparência de decência e de bondade, são necessárias para que as pessoas possam conviver. Eu sei que está parecendo que defendo a hipocrisia. Pode até ser. Meu ponto é que não suportaríamos a verdade, toda a verdade, e nada mais que a verdade. Somente Deus consegue conhecer todos os esqueletos que as pessoas escondem no armário e ainda ser feliz. Eu só queria a onisciência se ela viesse junto com a onipotência. Como não dá, prefiro não saber tudo que se passa na vida dos outros."

É meu caro, Neilson, a ignorância é uma bênção... e eu, infelizmente, tenho sido exposto à "maldição" do abrir de olhos para situações que preferia ignorar...é que falta-me a tal onipotência para consumar minha volição...resta então valorizar a ignorância, e descansar em Deus, este sim, onipotente e justo.

5 comentários:

Anônimo disse...

Às criaturas, Ricardo, a sua posição limitada, e assumida como tal, é
uma bênção. Não desanime, todavia! Não estamos ao vento ou ao sabor
das ondas de um mar descontrolado.

Deus reina e é justo. Que seja misericordioso conosco, que também
somos pecadores.

Fernando

Anônimo disse...

Ricardo

Realmente suportar a verdade pode ser impossível..
Gostei das palavras do pastor.
Bom dia!

Lays

Neilson disse...

é, meu caro, creio que a verdade absoluta está em posse de um, apenas, apesar das várias faces que ela pode assumir. Mas não é necessário muito mais do que se observa (no senso comum) para que alguns rumos fossem alterados. Muito além dos bastidores, eu diria...

queria te ouvir falar sobre, por exemplo, o que leva alguém a aceitar a uma verdade malufista.

RICARDO DE ABREU BARBOSA disse...

Neilson

agora você "enviesou" a conversa! "verdade malufista"...só se por tras estiver o paradigma epistemológico da anti-ética. Lembra do "rouba mais faz", "do estupra mas não mata"? esse aí já era... nesse caso, a bênção é a da consciência...

Abraços!! e bom início "quanti" para você... estou indo pro "quali"... nos vemos por aí...

Ricardo

GABI-GABRIELA disse...

É Ricardo, em alguns casos a ignorância "pode" ser uma bênção!, mas em outros uma maldição, pois se não soubermos no mínimo de nossos direitos e deveres como cidadão, como iremos lutar por eles???, como poderemos lutar por um pouco de ordem no caos!!!???.

P.S. desculpe a arrogância em querer postar comentários em matérias que vão muito além da minha instrução acadêmica.