terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

O país precisa mais de advogados ou de engenheiros?

Apesar de ser mais um causídico que contribui para o aumento da lista de advogados no país, faço mea culpa e compartilho o trabalho publicado pelos Professores Murphy, Shleifer e Vishny, publicado no Quarterly Journal of Economics, MIT Press, isso em 1991!

Em resumo: para crescer, precisamos de maior número de engenheiros do que de advogados!! Uma sociedade com mais engenheiros organiza melhor a produção, cresce mais e é mais rica do que uma que tenha mais advogados do que engenheiros..


Só para se ter um exemplo: no Brasil, organizações investem fortunas em assessorias jurídicas com vistas a ganhos fiscais, administração de riscos trabalhistas, ambientais, contratuais, etc., e deixam num segundo plano projetos que estimulam o empreendorismo, a P&D, a tecnologia e a inovação. Isso talvez explique porque o mercado jurídico (meio) seja mais atrante que o mercado produtivo (fim), e consequentemente porque tenhamos mais advogados do que engenheiros.

Bom, sou advogado, ensino direito, amo minha profissão. Mas deixo a questão para reflexão aos alunos e demais interessados. A pesquisa poderia ainda ser considerada atual para os dias de hoje? caso afirmativo, que postura devemos ter em nossa carreira diante de tais colocações? Como isso nos afeta? O que mudar?

Antes de criticar, convido-os à reflexão.

Para os interessados na texto, acessem o link.

Título do artigo: "The Allocation of Talent: Implications for Growth"

Abstract: “A country’s most talented people typically organize production by others, so they can spread their ability advantage over a larger scale. When the start firms, they innovate and foster growth, but when they become rent seekers, they only redistribute wealth and reduce growth. Occupational choice depends on returns to ability and to scale in each sector, on market size, and on compensation contracts. In most countries, rent seeking rewards talent more than entrepreneurship does, leading to stagnation. Our evidence shows that countries with a higher proportion of engineering college majors grows faster; whereas countries with a higher proportion of law concentrators grows more slowly."

Nenhum comentário: